• Prof Dr Alan Hatanaka

Metilfolato ou Ácido Fólico? Qual eu tomo e para que?

Updated: Dec 12, 2021

O ácido fólico é a forma sintética do metilfolato. É importante para a multiplicação celular, para o desenvolvimento do Sistema Nervoso Central do feto e para a formação dos glóbulos vermelhos. O uso do ácido fólico sabidamente reduz a chance de malformações graves no feto como anencefalia (não ter a calota craniana) e espinha bífida (ter a coluna aberta).


O ácido fólico é administrado a muher na forma de suplementos, através do enriquecimento da farinha utilizada no Brasil, ou na forma de folato (vitamina B9), obtida através da alimentação. São alimentos com alta concentração da vitamina o feijão preto, espinafre, rúcula, aspargos, couve de bruxelas, quiabo, castanhas e soja. O fígado e o levedo da cerveja possuem alta concentração de folato, mas não são recomendáveis na gestação.


O metilfolato é a forma ativa do ácido fólico e mais recentemente passou a ser comercializado como suplemento por via oral. É absorvido no estômago e no início do intestino (duodeno). Estudos de laboratório demonstram que o uso do metilfolato oral gera a presença de folato no sangue assim como o ácido fólico. Isso faz com que acreditemos que o uso do metilfolato tenha toda lógica para funcionar de maneira semelhante ao ácido fólico (Food and Agriculture Organization of the United Nations, World Health Organization. Report of a joint FAO/WHO expert consultation Bangkok, Thailand. Rome: FAO/WHO; 2001 . Available from: http://www.fao.org/3/a-y2809e.pdf ).


Somado a isso, para conversão do ácido fólico para o metilfolato (forma ativa) é necessário a presença de uma enzima cuja sigla é MTHFR (metilenotetrahidrofolato redutase). Algumas mulheres possuem deficiência na produção desta enzima devido a dois tipos de mutações do seu gene (MTHFR C677T e A1298C), o que poderia gerar maior dificuldade de conversão. Nestas pacientes há uma vantagem teórica do uso de metilfolato oral.


Mas na prática, qual medicação COMPROVADAMENTE reduz a chance de anencefalia e espinha bífida? O uso de ácido fólico iniciando um mês antes da gestação até 12 semanas reduz em 75% a chance destas doenças (US Preventive Services Task Force, JAMA, jan 2017

Doi: 10.1001/jama.2016.19438; MRC Vitamin Research Group, The Lancet, Jul 1991

DOI: https://doi.org/10.1016/0140-6736(91)90133-A).

E o metilfolato? Até o momento, não há estudos que comprovem sua ação na redução da chance de anencefalia e espinha bífida, embora tenha lógica seu funcionamento.


O ácido fólico é uma medicação barata e disponível no SUS, o metilfolato é uma medicação muito cara. O Centro de Controle de Doenças Americano recomenda apenas o uso de ácido fólico na prevenção de malformações fetais, considerando as evidências disponíveis até o momento, e eu tenho que concordar!


Autor: Prof Dr Alan Hatanaka




45 views0 comments