Ultrassonografia Morfológica de Segundo Trimestre com Dopplervelocimetria Colorida

Realizado idealmente com mais de 20 semanas, a ultrassonografia morfológica de segundo trimestre faz uma avaliação anatômica completa do feto. Diferente da ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre que busca malformações mais grosseiras, o de segundo trimestre busca também alterações menos perceptíveis, como alterações na sulcação cerebral, da calota craniana, do corpo caloso, alterações cardíacas e de membros, dentre várias outras. Trata-se de uma ultrassonografia demorada e que exige extrema atenção e treinamento.

civ.png

Malformações Cardíacas

As alterações da anatomia cardíaca estão entre os achados ultrassonográficos mais frequentes. O rastreamento é fundamental no morfológico de segundo trimestre, mas muito mais importante é saber interpretar a alteração. A maioria das malformações isoladas são inocentes, como a comunicação interventricular muscular sem outros achados. Sem dúvida, acalmar o casal e realizar uma ecocardiografia fetal com Doppler colorido com profissional especializado, preferencialmente com um aconselhamento cardiológico, é a melhor conduta a seguir.

Avaliação das Suturas Cranianas

A avaliação das suturas cranianas é parte da Neurossonografia Fetal. O crânio do feto é composto de placas ósseas que precisam ser separadas por espaços, que chamamos de suturas. Essas suturas precisam estar abertas para o adequado crescimento do cérebro e das próprias placas ósseas, assim como as placas precisam se sobrepor no momento da passagem pela pelve feminina. A técnica utilizada para avaliação é a 3D no modo esquelético, que se assemelha a um raio X (mas é ultrassom!).

sutura coronal.jpg
slowflow.jpg

Doppler Modo Slow Flow

O Doppler Slow Flow ou Doppler de baixo fluxo é um novo método para avaliação dos vasos, capaz de demonstrar ao examinador vasos menores com maior precisão. Ao lado observamos a artéria cerebral anterior continuando como artéria pericalosa. A avaliação da artéria pericalosa pode auxiliar na avaliação da normalidade da linha média cerebral.